Buscas - Coleção Digital
    :                                                                                                 Direitos Autorais
PUC-Rio
PUC-Rio
Toolbox E-mail Help Plugins Acessos Area Restrita
aba parte esquerda Coleção Digital aba parte direita
aba parte esquerda Sala Virtual aba parte direita
aba parte esquerda Sala de Aula aba parte direita
aba parte esquerda Notícias aba parte direita
aba parte esquerda EMA aba parte direita
aba parte esquerda Projetos Especiais aba parte direita
Aumentar letra Diminuir letra Normal Contraste
 
Maxwell
imagem de espaçamento
  Página Inicial
imagem de espaçamento
  Buscas
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
  Estatísticas
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
imagem de espaçamento
  Sobre
imagem de espaçamento
rodape do menu
Consulta aos Conteúdos

Botão de Informações

Título: DAVID CHALMERS E A REFUTAÇÃO DO MATERIALISMO
Instituição: PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO - PUC-RIO
Autor(es): ANTONIO PEDRO FONSECA GOULART PEREIRA
Colaborador(es): OSWALDO CHATEAUBRIAND FILHO - Orientador
Catalogação: 02/02/2010 Idioma(s): PORTUGUÊS - BRASIL
Tipo: TEXTO Subtipo: TESE
Referência [pt]: http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=15107@1
Referência [en]: http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=15107@2
Resumo:
David J. Chalmers, um dos mais influentes autores contemporâneos em filosofia da mente, defende a irredutibilidade ontológica da consciência a propriedades físicas. Para o filósofo australiano, a consciência - ou a qualidade subjetiva da experiência - escapa a qualquer abordagem materialista, pois permanece um mistério por que processos físico-funcionais são acompanhados de experiência. Assim, segundo o autor, pelo fato de não poder ser logicamente derivada de fatos físicos, a consciência precisa ser considerada uma propriedade fundamental do universo. Para sustentar sua tese e refutar o materialismo, Chalmers explora três tipos de argumentos, bem como suas diversas objeções: o argumento explanatório, o argumento do conhecimento e o argumento da conceptibilidade (ou argumento dos zumbis). Este trabalho visa investigar, à luz desses três argumentos e da plausibilidade de posições não materialistas, se realmente devemos desistir do materialismo para darmos conta do fenômeno da consciência.
Descrição Arquivo
CAPA, AGRADECIMENTOS, RESUMO, ABSTRACT E SUMÁRIO  PDF
CAPÍTULO 1  PDF
CAPÍTULO 2  PDF
CAPÍTULO 3  PDF
CAPÍTULO 4  PDF
CAPÍTULO 5  PDF
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  PDF
<< voltar